Pesquisar

VIANA – CIDADE MORTA

Este é o repositório de 5 anos de histórias de uma cidade que quis ser criativa

Autor

Vianatech

ūüŹ∑ We are a leading portuguese brand on production of creative texts, audio books, multimedia contents and localization. Our mission is to gather people communicating despite their native languages and skills. ūüŹ∑ How can we help you: * create a content strategy that will help to keep your product top-of-mind * build socially contagious products using the latest insights from psychology and anthropology. ūüŹ∑ We are focused on helping entrepreneurs and startups grow their business, by expanding into new markets through tribes. Our work sits at the crossing between anthropology and psychology, as well as technology and people. ūüŹ∑ How can we help you: * setup and build a growth engine using growth hacking; * identify and expand your product into tribal markets; * identify and activate your brand advocates so that they share more about you.

Morreu o "Atl√Ęntida": Navio hasteou bandeira da Noruega e zarpou rumo √† Su√©cia

O navio Atl√Ęntida est√° definitivamente enterrado e hasteou hoje (1 de julho de 2015) a bandeira Noruega tal como foi avan√ßado pelo Blog de Viana h√° v√°rios meses em primeira m√£o. O porto de destino tamb√©m j√° √© conhecido e fica na Su√©cia.

Acompanhe a viagem do barco aqui.

Depois do projecto Viana Criativa: Mais um roubo flagrante de direitos de autor

Para memória futura, aqui fica o exemplo de como se rouba literalmente os direitos de autor de um logótipo criado pelo mesmo CRIATIVO que produziu o Viana Criativa! InsideCenter é aliás também nome criado pelo mesmo autor e está a ser usurpado sem pagamento de direitos por parte de quem o utiliza!

Autarca de Viana do Castelo usa dinheiro p√ļblico para criticar Cimeira Ib√©rica que defende Turismo transfronteiri√ßo

O presidente da C√Ęmara Municipal de Viana do Castelo acaba de confirmar que n√£o sabe a quantas anda quando quer usar a cr√≠tica pol√≠tica, num comunicado emitido por um Gabinete de Imprensa pago por todos os vianenses mas de que abusa para fazer propaganda, como no caso da reac√ß√£o √† recente Cimeira Ib√©rica.

Na reunião realizada em Baiona, os Chefes de Governo dos dois países acordaram finalmente para a necessidade de criação de um projecto de valorização conjunta do património cultural transfronteiriço apostando no turismo sustentável. Leia o comunicado aqui: http://viana.us/oamuo

No entanto, o autarca de Viana do Castelo amuou por n√£o lhe terem apoiado o dinheiro p√ļblico que gastou numa “peti√ß√£o” reclamando o fim do roaming quando a pr√≥pria da Comiss√£o Europeia, pela m√£o do portugu√™s Carlos Moedas, tem j√° em curso a directiva que ir√° num futuro pr√≥ximo acabar com tal “taxa” ao abrigo da Agenda Digital Europeia.

Como se n√£o bastasse, Jos√© Maria Costa usou mais dinheiro p√ļblico para emitir um comunicado onde diz que ¬ęa inutilidade desta Cimeira Ib√©rica¬Ľ foi ¬ępaga com dinheiros p√ļblicos dos contribuintes portugueses e espanh√≥is, depois de intensas reuni√Ķes e acaloradas decis√Ķes sobre o nada¬Ľ. Confira aqui:¬†http://viana.us/politicamenteabsurdo

Seria bom que o autarca come√ßasse a dar aulas de gastos de dinheiro p√ļblico a alguns parceiros de “coliga√ß√£o” no desenvolvimento econ√≥mico do concelho e na VianaFestas!

C√Ęmara de Viana esbanja 250 mil euros a contratar empresas privadas para a cultura e o turismo

Estratégias do município não resultam por que os políticos não prestam
A C√Ęmara Municipal de Viana do Castelo vai gastar mais 92 mil euros num designado “Plano de Dinamiza√ß√£o Tur√≠stica” contratando uma empresa para tal tarefa o que se traduz no reconhecimento de que quem dirige o pelouro da Cultura e Turismo e o presidente da autarquia n√£o sabem nada do assunto.

Como se isso n√£o bastasse, a autarquia entregou tamb√©m a uma empresa privada, por 38 mil euros, sem concurso p√ļblico, uma alegada presta√ß√£o de servi√ßos para apoio aos museus e mais 120 mil euros para apoio log√≠stico a eventos no Centro Cultural.¬†

C√Ęmara de Viana paga 10 mil euros a Joana Amendoeira para organizar festa do fado de r√°dio privada

Festa do Fado custou 17.700 euros aos cofres do município
A fadista K√°tia Guerreiro foi a cabe√ßa de cartaz da edi√ß√£o 2015 da Festa do Fado (uma ideia lan√ßada a partir de uma investiga√ß√£o acad√©mica realizada em 2008) alegadamente promovida pela R√°dio Alto Minho em parceria com a C√Ęmara Municipal de Viana do Castelo mas na verdade a autarquia pagou 10 mil euros a uma empresa privada gerida por Joana Amendoeira pela organiza√ß√£o e apenas em 2013 √© que pagou 7.700 √† empresa¬†R√ĀDIO ALTO MINHO – SOCIEDADE DE INFORMA√á√ÉO REGIONAL, LDA. por presta√ß√£o de servi√ßos n√£o especificados

O espetáculo aconteceu no dia 28 de março, no Centro Cultural de Viana do Castelo e contou ainda com a participação da própria Joana Amendoeira, Ana Sofia Varela e Rodrigo Costa Félix.
O site da C√Ęmara Municipal diz que ¬ęo concerto, mais um que a R√°dio Alto Minho dedica exclusivamente √† canc√£o nacional, elevada a Patrim√≥nio da Humanidade, teve ainda a participa√ß√£o especial de Marta Pereira da Costa, a primeira mulher a tocar profissionalmente a guitarra portuguesa no fado.¬Ľ
Mas o que parecia um apoio a uma empresa de Viana (a Rádio Alto Minho é uma empresa  privada, não é uma associação sem fins lucrativos) foi afinal um desastre de bilheteira que custou muito caro aos cofres do município.
A coisa at√© nem seria not√≠cia se n√£o se desse o caso de a mesma autarquia ter subsidiado, com muitos entraves √† mistura, 2 associa√ß√Ķes sem fins lucrativos apenas com 5 mil euros e n√£o ter fornecido sequer o apoio log√≠stico que presta todos os anos a uma festa que tem sempre o Fado de n√£o ter espectadores para cobrir as despesas do Centro Cultural.
Joana Amendoeira recebeu 10 mil euros para organizar a Festa do Fado em Viana do Castelo

Carapau Fumado: Produto dos pa√≠ses n√≥rdicos apresentado como original do Alto Minho em certame financiado pela Uni√£o Europeu

Segundo a imprensa local, a VianaPesca, cooperativa de pescadores de Viana do Castelo, lan√ßou filetes de carapau fumado durante a feira/Mostra ‚Äú100% Alto Minho‚ÄĚ (financiada por fundos comunit√°rios geridos por Jos√© Lu√≠s Ceia e que tem por embaixador um secret√°rio de Estado que √© docente do IPVC) para incentivar os jovens empreendedores a apostarem nos produtos do mar. Portela Rosa alega ser uma novidade mas o produto j√° tem barbas nos pa√≠ses n√≥rdicos onde √© consumido nos restaurantes h√° dezenas de anos.

A coisa at√© nem seria not√≠cia (mas n√£o tal como a veicularam os maus jornalistas) se as entidades que agora promovem a “criatividade” de um estudo de alunos do IPVC (j√° estudado aprofundadamente por acad√©micos de todo o mundo que agora alertam para os efeitos nefastos do peixe fumado na sa√ļde humana) n√£o tivessem o apoio do secret√°rio de Estado da Tutela que √© docente do IPVC nesta √°rea.

O tema tamb√©m n√£o seria not√≠cia se o assessor da dire√ß√£o da cooperativa de pescadores VianaPesca, Francisco Portela Rosa, n√£o tivesse afirmado √† r√°dio do regime que ¬ęo objetivo √© que apare√ßam empres√°rios, sobretudo jovens, que queiram apostar na cria√ß√£o do pr√≥prio posto de trabalho e os possamos ajudar a candidatarem-se a fundos do Gabinete de A√ß√£o Local (GAL) no √Ęmbito dos novos fundos do Portugal 2020¬Ľ.
Tamb√©m n√£o seria not√≠cia se n√£o fosse o caso de se ter transformado numa esp√©cie de atrativo de um uma feira¬†financiada por fundos comunit√°rios e promovida pela Confedera√ß√£o Empresarial do Alto Minho (CEVAL), pela C√Ęmara de Viana do Castelo, pela Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, e pelo IPVC para alegadamente promover os produtos genuinamente 100% Alto Minho.
E tamb√©m n√£o seria not√≠cia se o carapau fumado n√£o estivesse a ser j√° produzido e exportado para Portugal a partir da Holanda e outros pa√≠ses e agora se queira obter fundos comunit√°rios para esta ideia “criativa” que at√© j√° tem uma receita de Smoked na Internet patrocinada por uma empresa Inglesa de arroz basmati.
E uma outra de Nigella, na BBC Food.

Windsurf Lounge hotel & Spa: Autarca vianense d√° terreno p√ļblico para hotel financiado por fundos que ele gere


Este √© o projecto do¬†Windsurf Lounge hotel & Spa que tem um financiamento aprovado de 4 milh√Ķes e 800 mil h√° v√°rios anos no √Ęmbito do Cons√≥rcio MinhoIN liderado pela Comunidade Intermunicipal do Alto Minho que √© presidida por Jos√© Maria Costa. Surpresa ou mera coincid√™ncia?


Em 2012, o Presidente da C√Ęmara Municipal de Viana do Castelo defendeu ¬†o cluster e a economia do mar, nomeadamente na constru√ß√£o e repara√ß√£o naval, nos transportes mar√≠timos e log√≠stica, na pesca, nos desportos e turismo e no Centro de Mar de Viana do Castelo como alavanca para a revitaliza√ß√£o da cidade, mas o objectivo continua a ficar-se pelo discurso oficial a fazer f√© nos n√ļmeros reais: o n√ļmero de empresas ligadas a esta √°rea tem diminu√≠do em vez de aumentarem.

Desde h√° mais de 2 d√©cadas que Viana do Castelo tenta imp√īr-se como destino atl√Ęntico mas a aus√™ncia de um planeamento participado levou at√© ao afundamento de empresas como os Estaleiros Navais de Viana do Castelo.¬†

S√≥ que Jos√© Maria Costa, o socialista que foi¬†empregado dos estaleiros antes de entrar para a pol√≠tica activa no in√≠cio da d√©cada de noventa parece agora mais preocupado com uma empresa privada que “arrecadou” o espa√ßo dos ENVC (ap√≥s parecer positivo da extinta Administra√ß√£o do Porto de Viana do Castelo de cujo conselho geral o autarca faz parte).
Como se n√£o bastasse o pr√≥prio do autarca entrega terreno p√ļblico a uma empresa privada, e porque Viana do Castelo tem um clamorosa aus√™ncia de jornalismo s√©rio, a not√≠cia dada √† estampa na r√°dio que o partido socialista apoia (um empresa privada, diga-se em abono da verdade), diz-se que investimento √© de um promotor local quando o tal √© apenas uma segunda empresa sedeada em Viana do Castelo em Dezembro de 2014 e √© do propriet√°rio da FEELDOURO.
Agora leia o que diz a rádio do regime. http://viana.us/hotelcabedelo

An√ļncio da venda Atl√Ęntida j√° estava previsto desde Mar√ßo de 2014

a quem interessa a mentira?

S√≥ aos olhares belos do Cabedelo a coisa poderia ter passado despercebida de t√£o entretidos que andam a espolinhar outros n√£o cuidando de saber que tudo se descobre. Afinal, o nosso Atl√Ęntida j√° tem novo nome desde Dezembro de 2014 e sempre esteve nas m√£os indirectas de uma empresa sedeada em Bergen, na Noruega, e que conta com forte apoio do Governo Russo de Vladimir Putin.

¬ęWest Sea assina o primeiro contrato de constru√ß√£o navalA DouroAzul assinou com a West Sea o contrato de constru√ß√£o de um novo navio-hotel para realizar cruzeiros tur√≠sticos no Douro, Viking Osfrid, cuja constru√ß√£o come√ßou no in√≠cio de 2015, prevendo-se que possa estar conclu√≠do antes do final do ano.¬Ľ p√°gina 13 do Relat√≥rio e Contas do Grupo Martifer 2014

A Viking Cruises j√° tinha vistoriado o navio em 2009, tal como Blog de Viana noticiou num an√ļncio que foi depois replicado pelo Di√°rio de Not√≠cias:¬†¬ęUm armador noruegu√™s visitou esta semana os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) interessado na compra do ferry Atl√Ęntida, navio encomendado e entretanto rejeitado pelo Governo Regional dos A√ßores, soube o DN junto de fontes da empresa. Trata–se de um armador da Noruega e que opera j√° na √°rea do transporte mar√≠timo (ferryboat) e que, segundo relatam fontes dos ENVC, ter√° ficado surpreendido com a qualidade dos acabamentos do Atl√Ęntida, entre os quais se contam um minicasino e um infant√°rio.¬Ľ

Pois bem, o nosso Atl√Ęntida tem todos os contornos de um caso de pol√≠cia desde o tempo em que¬†Lu√≠s Amado¬†(agora presidente do Banif e onde √© funcion√°rio o deputado do PSD, Eduardo Teixeira que durante a campanha para as √ļltimas aut√°rquicas se encontrou com o dono da Douro Azul) era titular da pasta da Defesa no Governo Jos√© S√≥crates.

Ou seja, nem do PS, nem do PSD podem vir quaisquer pol√≠ticos agora dizer que n√£o sabiam o que sabiam e um dia se saber√° porque se mantiveram caladas as institui√ß√Ķes ligadas √† economia (patronato e sindicato) da regi√£o em todo o processo dos Estaleiros Navais de Viana do castelo.

Mas a not√≠cia de “um novo barco para o Douro” j√° tem barbas e s√≥ passou despercebida porque muito poucos querem aprender ingl√™s e alguns dos que falam sobre o assunto (como alguns ex-dirigentes sindicais) at√© escaparam √†s ac√ß√Ķes de forma√ß√£o profissional dirigidas aos antigos trabalhadores dos ENVC apesar de terem sido convocados e serem obrigados a frequent√°-las, preferindo outros “of√≠cios art√≠sticos” pagos enquanto recebem o subs√≠dio de desemprego.

√Č o pr√≥prio presidente da Viking Cruises quem o anuncia em Mar√ßo de 2014 em p√ļblico como poder√° ler na Travel Agent Center¬†(se o caro leitor n√£o souber ingl√™s use o tradutor da Internet ou frequente ac√ß√Ķes de forma√ß√£o gratuitas que o Estado Portugu√™s disponibiliza).

Supreendidos com a not√≠cia do¬†Di√°rio Econ√≥mico¬†segundo a qual ¬ęM√°rio Ferreira vai vender por 17 milh√Ķes de euros o navio que comprou ao Estado, em Setembro, por oito milh√Ķes¬Ľ?

Isso nem é notícia, porque a novidade está apenas no facto da West Sea ter entregue a reabilitação do barco a outro estaleiro, por ausência de liquidez financeira para novos investimentos.

Pois bem…delicie-se com o v√≠deo de apresenta√ß√£o de um River Cruise¬†que come√ßa em Lisboa! E depois aprenda algumas frases em Ingl√™s com a Maria.

Romaria da Agonia

PhotoFunia-1431974276

PhotoFunia-1431973953

PhotoFunia-1431973881

PhotoFunia-1431973832

PhotoFunia-1431973658

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑