Festa do Fado custou 17.700 euros aos cofres do município
A fadista Kátia Guerreiro foi a cabeça de cartaz da edição 2015 da Festa do Fado (uma ideia lançada a partir de uma investigação académica realizada em 2008) alegadamente promovida pela Rádio Alto Minho em parceria com a Câmara Municipal de Viana do Castelo mas na verdade a autarquia pagou 10 mil euros a uma empresa privada gerida por Joana Amendoeira pela organização e apenas em 2013 é que pagou 7.700 à empresa RÁDIO ALTO MINHO – SOCIEDADE DE INFORMAÇÃO REGIONAL, LDA. por prestação de serviços não especificados

O espetáculo aconteceu no dia 28 de março, no Centro Cultural de Viana do Castelo e contou ainda com a participação da própria Joana Amendoeira, Ana Sofia Varela e Rodrigo Costa Félix.
O site da Câmara Municipal diz que «o concerto, mais um que a Rádio Alto Minho dedica exclusivamente à cancão nacional, elevada a Património da Humanidade, teve ainda a participação especial de Marta Pereira da Costa, a primeira mulher a tocar profissionalmente a guitarra portuguesa no fado.»
Mas o que parecia um apoio a uma empresa de Viana (a Rádio Alto Minho é uma empresa  privada, não é uma associação sem fins lucrativos) foi afinal um desastre de bilheteira que custou muito caro aos cofres do município.
A coisa até nem seria notícia se não se desse o caso de a mesma autarquia ter subsidiado, com muitos entraves à mistura, 2 associações sem fins lucrativos apenas com 5 mil euros e não ter fornecido sequer o apoio logístico que presta todos os anos a uma festa que tem sempre o Fado de não ter espectadores para cobrir as despesas do Centro Cultural.
Joana Amendoeira recebeu 10 mil euros para organizar a Festa do Fado em Viana do Castelo

Anúncios