A evidência está bem escrita na página do Facebook do próprio do deputado que está legalmente, pela Constituição que jurou defender quando tomou posse, proibido de assumir relações directas do tipo parceria com empresas e órgãos de comunicação social, para veicular propaganda política, equivalente em termos práticos a publicidade gratuita.

Ora, diz o político do PSD (porque não é social-democrata na prática) que assumiu uma parceria mensal em Outubro do ano passado com um jornal gratuito (?) do Alto Minho mas o que se vê é apenas propaganda e não artigos de opinião dispersos sobre a actualidade ou outra matéria qualquer.

Anúncios