Enganando-se em mais de 1.800 milhões de euros, «os dois deputados socialistas eleitos pelo distrito de Viana do Castelo classificaram de “extremamente violenta” a “perspetiva” de redução, em 50%, das verbas destinadas ao Alto Minho no âmbito dos fundos do Portugal 2020.

Em conferência de imprensa trealizada na sede da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Minho, em Viana do Castelo, o deputado Jorge Fão afirmou que a região beneficiou de cerca de 100 milhões de euros do atual Quadro Comunitário de Apoio (QCA) mas que, nos fundos do Portugal 2020, deverá receber “apenas metade daquela verba”.» in http://viana.us/psnaosabecontar
O “atual QCA” ou melhor «O ON.2 – O Novo Norte (Programa Operacional Regional do Norte 2007/2013) é um instrumento financeiro de apoio ao desenvolvimento regional do Norte de Portugal ( NUTS II ), integrado no Quadro de Referência Estratégico Nacional 2007/2013 e no atual ciclo de fundos estruturais da União Europeia destinados a Portugal foi financiado exclusivamente pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (Feder). «O ON.2 apresenta a mais relevante dotação financeira global dos programas operacionais regionais – 2,7 mil milhões de Euros, representando 12,5 por cento do orçamento do QREN. Com este montante de fundo estrutural, estima-se viabilizar um investimento na Região do Norte de cerca de 3,2 mil milhões de Euros».
Sucede que a região Minho-Lima (ou Alto Minho) recebeu 1.867.301.269,27 € muito longe dos 100 milhões avançados pelos socialistas, sem que os deputados do PSD tenham dito até hoje o que quer que fosse sobre a forma como foi gerido o dinheiro, maioritariamente gerido por entidades públicas e instituições privadas de cariz associativo ligado à economia.

https://www.youtube.com/embed/9yWCD_o-Fcw?feature=player_embedded

Anúncios