Apesar de o Governo ter decidido não dar tolerância de ponto, os trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo vão ficar em casa na segunda-feira de Páscoa. Depois de conversarem com a administração, os cerca de 650 trabalhadores da empresa de construção naval vianense decidiram ficar em casa na segunda-feira de Páscoa, dia em que muitas freguesias do concelho têm o compasso pascal. Martinho Cerqueira, da Comissão de Trabalhadores, explicou à Geice que a falta de tolerância de ponto na Páscoa e a marcação das férias geraram “alguma tempestade num copo de água” esta terça-feira mas considera que foram questões “de menor importância”.

 


 

Os trabalhadores dos Estaleiros Navais estiveram ainda a decidir algumas questões relacionadas com as férias e a calendarização dos trabalhos. Este ano a empresa vai fechar na primeira semana de Junho e na última semana de Dezembro. Como se espera que a construção dos asfalteiros esteja “a todo o gás” a partir de Julho, “não teria lógica” fechar a empresa em Agosto. Na segunda-feira de Páscoa os trabalhadores dos Estaleiros vão ficar em casa apesar de o Governo não ter dado tolerância de ponto.

Ao que se sabe este caso da tolerância de ponto foi mesmo provocada pelo exemplo dado pela Câmara Municipal de Viana do Castelo, cuja maioria socialista decidiu dar tolerância de ponto aos funcionários a partir de 5ª feira à tarde e até terça-feira. Mas não contente com o mau exemplo, o presidente da autarquia ainda veio dizer que está apreensivo com a acumulação de funções do presidente do conselho de administração dos Estaleiros Navais da cidade. Recorde-se que, desde há poucos dias, Jorge Camões é também presidente do conselho de administração do Arsenal do Alfeite, em Lisboa. Uma nomeação que é válida para o triénio 2012/2014. José Maria Costa, autarca de Viana, manifestou “alguns receios” com esta acumulação de funções.

O autarca receia que Jorge Camões perca parte da dedicação aos Estaleiros Navais, numa altura crucial para a empresa vianense. O socialista espera que esta “duplicidade de funções não venha a prejudicar os Estaleiros” e apela para que não sejam desviadas construções dos ENVC para o Arsenal do Alfeite. José Maria Costa diz que vai estar “muito atento” a este acumular de funções. O socialista diz que se não há dinheiro para os ENVC, espera que os estaleiros do Alfeite não sejam beneficiados. O autarca de Viana do Castelo mostra-se preocupado com o facto de Jorge Camões, presidente do conselho de administração dos ENVC, ter acumulado funções e ser agora também presidente do conselho de administração do Arsenal do Alfeite, em Lisboa.

Anúncios