Depois de um Verão verdadeiramente desastroso em termos de atracção de visitantes com o principal factor histórico de visita à cidade a ter a pior afluência de sempre (apesar de os responsáveis da Viana Festas terem inicialmente afirmado o contrário indo ao ponto de garantir que a cidade teria recebido 1 milhão de pessoas e gerado 10 milhões de euros para a economia local), a Câmara Municipal de Viana do Castelo decidiu agora fazer mais um estudo, desta vez intitutlado “Impacto socioeconomico e ambiental da Romaria de Nossa Senhora d’Agonia”.

 

 

Tal como sucedeu com o suposto plano de marketing e o logotipo que lhe sucedeu, a autarquia volta a entregar o “estudo” por ajuste directo sem abrir a possibilidade a todos os interessados de participar.

 

Ao mesmo tempo, a autarquia mandatou a Viana Festas para desligar o site (ou melhor dito link permanente do domínio da Viana Festas) estando nesta altura a cidade sem qualquer informação oficial para os turistas e estando a divulgação resumida agora à actividade da REDE ESKILO, através dos sites ROMARIA DA AGONIA e MUSEU DE VIANA.

 

O que os responsáveis autárquicos ainda não terão percebido, apesar de alertados em devido tempo, é que o modelo de gestão da Viana Festas nunca deu frutos e está a caminho do descalabro orçamental pois que não possui outra actividade que não seja a organização da Romaria e de um Festival de Folclore.

 

Uma actuação lamentável que requer, em definitivo, que se chame à discusão quem verdadeiramente já fez o trabalho de casa e não a algunsque vão vivendo de invenções duvidosas.

Anúncios