O típico bairro da Ribeira de Viana do Castelo foi alvo de uma intervenção de rua, naquela que é a primeira experiência do projecto “Celebração da Cultura Costeira”. Trata-se do fruto de uma acção de muito curta duração, alicerçada em entrevistas semi-abertas a alguns dos responsáveis actuais das ruas por onde passa a Procissão ao Mar, e que assume a expressão “PARA A SENHORA PASSAR”. “PARA A SENHORA PASSAR” é, por isso, o mote do projecto, pois é ela que explica porque razão os moradores da Ribeira se empenham na dura e criativa tarefa de decoração das ruas do bairro da Ribeira, por onde passa procissão da sua padroeira, Nossa Senhora d’ Agonia. O condutor da intervenção de rua leva os visitantes do cais (antiga lota) até à Igreja de S. Domingos e integra um audiovisual no interior de um armazém, que espera novo uso, prolongando-se pelas cinco ruas que integram o itinerário terrestre da Procissão ao Mar. Esta intervenção de rua (que ficará disponível até Outubro de modo a que possa ser estudada/trabalhada, também, por professores e alunos) é fruto de uma acção de muito curta duração, alicerçada em entrevistas semi-abertas a alguns dos responsáveis actuais das ruas por onde passa a Procissão ao Mar (organizada, desde 1968, de forma autónoma da procissão Solene da Senhora da Agonia, padroeira dos pescadores) e a outras pessoas da comunidade ligadas à vida do mar. Este material foi complementado por registos visuais, notas de moradores e outras fontes documentais, nomeadamente o arquivo da Junta de Freguesia, números antigos de jornais locais e um conjunto de fotografias históricas de Manuel Bentes – que foi dado a conhecer, em primeira mão, por Gualberto Boa-Morte, é autor de muitas das fotos cedidas pelos moradores, aqui complementadas com imagens de Rui Carvalho, chamando a atenção para detalhes e pormenores ou proporcionando perspectivas distintas do bairro em festa. Esta primeira extensão experimental faz parte do projecto Celebração da Cultura Costeira/EEAgrants – que decorre entre 2007-2010 – promovido pela Mútua dos Pescadores, a que se associou a Câmara Municipal de Viana do Castelo, que criou uma equipa interdepartamental da autarquia, que integra também elementos da comunidade piscatória ou a ela ligada por laços de sangue. O projecto Celebração da Cultura Costeira visa reforçar localmente práticas de reflexão em torno da herança cultural das pessoas e comunidades que vivem à borda de água, envolvendo-as num processo de tomada de consciência da cultura que criaram e da importância da sua salvaguarda e transmissão, homenageando ao mesmo tempo os que se empenham nessas tarefas.

Anúncios